Mobirise

Porque o justo sofre?

09 de Fev de 2016 - por Edeildo Oliveira

Se alguém quer saber o que é sofrimento, leia o livro de Jó. Nesse livro bíblico, denominado poético pelos teólogos, alguns desses estudiosos bíblicos, até declaram que esse livro é apenas uma história inventada, por causa dos níveis de sofrimento que Jó viveu, e isso bem debaixo dos olhos de Deus. Mas Jó é citado por Tiago em sua epístola:

“Eis que temos por bem-aventurados os que sofreram. Ouvistes qual foi a paciência de Jó, e vistes o fim que o Senhor lhe deu; porque o Senhor é muito misericordioso e piedoso. “ (Tiago 5.11)


O nome de Jó, significa “perseguido”, a história de Jó representar a minha e a sua vida, só que num nível bem mais profundo de sofrimento. Ao ler esse livro, ou quando passamos por sofrimento, é inevitável fazer essa pergunta, porque o justo sofre? Porque Deus permitiu que satanás destruísse tudo que era precioso para Jó? O que a Bíblia diz sobre Jó? Vamos falar um pouco sobre ele.

 

A Bíblia declara que Jó era integro, era irrepreensível, era homem reto e justo. Não havia nada que falar sobre o caráter dele e sua conduta, todos os respeitavam e viam nele um homem reto. “HAVIA um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó; e era este homem íntegro, reto e temente a Deus e desviava-se do mal. “ (Verso 1)

 

Jó tinha uma grande família. Eram sete filhos e três filhas. (Verso 2). Jó era um homem abençoado por Deus. “E o seu gado era de sete mil ovelhas, três mil camelos, quinhentas juntas de bois e quinhentas jumentas; eram também muitíssimos os servos a seu serviço, de maneira que este homem era maior do que todos os do oriente”. (Verso 3)

 

Mas o que aconteceu com Jó? Ele foi alvo do ódio de satanás, até aí tudo bem, é natural para Satanás odiar, mas o ponto chave, é que ele não toca no justo sem a permissão de Deus. O Senhor permitiu que o inimigo roubasse toda a alegria de Jó. V.12. Em meio à perda de todos os seus bens, e da morte dos os seus filhos, Jó declara:

 

“Então Jó se levantou, e rasgou o seu manto, e rapou a sua cabeça, e se lançou em terra, e adorou. E disse: Nu saí do ventre de minha mãe e nu tornarei para lá; o SENHOR o deu, e o SENHOR o tomou: bendito seja o nome do SENHOR. (Jó 1.20-21)

 

Mas ainda fica a pergunta, porque o justo sofre?

Não sei plenamente a resposta, mas talvez para ensinar ao homem a confiar em Deus, em qualquer circunstância. Qualquer que seja o propósito do sofrimento, não há injustiça ou falta de misericórdia de Deus. O sofrimento sempre tem um propósito didático e um ato de amor e misericórdia.

 

O sofrimento ensina ao homem a não se exaltar, embora Jó fosse integro e temente a Deus, ele precisa lembrar que nenhuma carne se gloriará diante de Deus. E o sofrimento produz humildade. Porque até mesmo o fato de sermos justos e santos, podem provocar em nós uma arrogância e orgulho.

 

Com o sofrimento aprendemos que nem tudo tem uma explicação.

Onde não podemos compreender, podemos confiar, há muitas coisas que estão acontecendo com conosco que não tem uma explicação agora, só vamos saber disso lá na frente, ou na eternidade. De qualquer forma, é mais importante aprender a confiar no amor e na misericórdia de Deus, do que entender as coisas.

 

O sofrimento também ensina quem realmente somos.

“Então sua mulher lhe disse: Ainda reténs a tua sinceridade? Amaldiçoa a Deus, e morre. Porém ele lhe disse: Como fala qualquer doida, falas tu; receberemos o bem de Deus, e não receberíamos o mal? Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios. (Jó 2.9-10)

 

Diante de tanto sofrimento vemos a diferença entre Jó e sua esposa, a atitude dela não é para ser jugada, a dor dela era muito grande, mas de qualquer forma nos ensina, quem somos diante do sofrimento e da dor.

 

O sofrimento mostra ao homem, quem são nossos verdadeiros amigos.

Diante das lutas, aqueles que são amigos, se achegam a nós, mesmo sendo eles incapazes de nos ajudar efetivamente, o simples fato de estar ao nosso lado, nos traz alívio e consolo.

 

O sofrimento nos ensina a conhecer a Deus de maneira pessoal.

Às vezes, conhecemos a Deus de uma maneira superficial, mas depois do sofrimento, passamos a conhecer a Deus de maneira pessoal. 

Mas, o mais importante ensino que o sofrimento traz, é ensinar que Deus pode mudar qualquer cativeiro, qualquer tristeza em grande alegria.

“E o SENHOR virou o cativeiro de Jó, quando orava pelos seus amigos; e o SENHOR acrescentou, em dobro, a tudo quanto Jó antes possuía. Então vieram a ele todos os seus irmãos, e todas as suas irmãs, e todos quantos dantes o conheceram, e comeram com ele pão em sua casa, e se condoeram dele, e o consolaram acerca de todo o mal que o SENHOR lhe havia enviado; e cada um deles lhe deu uma peça de dinheiro, e um pendente de ouro. E assim abençoou o SENHOR o último estado de Jó, mais do que o primeiro; pois teve catorze mil ovelhas, e seis mil camelos, e mil juntas de bois, e mil jumentas. Também teve sete filhos e três filhas”. (Jó 42.10-13)

 

O que sei, é que os caminhos do Senhor são insondáveis, Deus faz a ferida, ele mesmo cura, Jó me ensina que o sofrimento pode produzir glória, bençãos e honra naqueles que confiam no Senhor.

 ''OS que confiam no SENHOR serão como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre.'' (Salmos 125.1)

 

 

Pr. Edeildo Oliveira

 

FACEBOOK COMMENTS WILL BE SHOWN ONLY WHEN YOUR SITE IS ONLINE

Goustou? então compartilhe!

Registre-se

Receba aviso de novas mensagens no seu e-mail.